Por que usar protetor solar?

A radiação ultravioleta proveniente do sol é responsável pelo envelhecimento cutâneo que pode ser visto por meio do aparecimento de rugas, manchas avermelhadas e acastanhadas, manchas brancas (leucodermia gutata), pele espessa e áspera e telangiectasias (pequenas veias visíveis na pele). Estes efeitos, com exceção das queimaduras, não são vistos de forma imediata, mas surgem após alguns anos. Por isso, aquele bronzeado obtido regularmente cobra seu preço após alguns anos, ouviram meninas! Principalmente em horários nos quais a incidência da radiação é mais forte (entre 10 e 15h) e associado ao uso de aceleradores de bronzeamento (muitas vezes clandestinos : o)!

Além disso, a radiação UV também predispõe ao surgimento de cânceres de pele, tanto pela exposição crônica e intensa à luz do sol, quanto pela exposição intensa e esporádica, capaz de causar queimaduras na pele. O dano solar também é cumulativo e vem desde a infância.

Todo mundo pode usar protetor solar?

O protetor solar está indicado para todas as pessoas, com exceção dos menores de 6 meses.

O que significa o fator de proteção solar? Qual a diferença entre os fatores de proteção?

O fator de proteção solar mede a proteção solar em relação à radiação UVB. Ele mede quantas vezes a pele com protetor está mais protegida em relação à pele sem protetor solar. Ex: FPS 4 – a dose de radiação necessária para causar eritema (vermelhidão) após o uso de protetor solar deve ser 4 vezes mais forte em relação à pele desprotegida. O FPS 15 fornece 93% proteção contra UVB. O FPS 30, 97% contra a radiação UVB. Nenhuma proteção com filtros UV pode entregar 100% de proteção.

Qual a frequência correta de aplicação do protetor solar? Qual a quantidade de filtro solar que deve ser aplicada?

O protetor solar deve ser aplicado 30ml/área do corpo – 2mg/cm². Uma regra prática é a regra da colher de chá:

  • 1 colher de chá para face, pescoço e nuca

  • Uma colher de chá para cada membro

  • Duas colheres de chá para abdômen, costas e cada membro inferior

  • Total de cerca de 12 colheres de chá.

Reaplicar a cada 2-3 horas e após suor ou natação. A aplicação do filtro deve ser 15 minutos antes da exposição solar.

Existe protetor solar de tomar?

Os antioxidantes conseguem promover fotoproteção, no entanto, não há substâncias que possam promover proteção suficiente isoladamente, devendo ser associados aos protetores solares convencionais.

Eles possuem capacidade antioxidante, neutralizando os radicais livres formados pela influência da radiação ionizante, UV, inflamação ou metabolismo de xenobióticos.

Quais substâncias antioxidantes podem ser utilizadas?

Betacaroteno, licopeno, vitaminas C e E, resveratrol, flavonoides (uva, limas, chá verde), ácido ferúlico, pycnogenol, polipodium leucotomos.

O protetor solar pode diminuir a minha vitamina D?

Teoricamente a aplicação correta do filtro solar poderia causar redução significativa nos níveis de vitamina D3, mas isto não é clinicamente provado. Na maioria dos casos os filtros não são aplicados na quantidade correta capaz de provocar este efeito.

A Academia americana de dermatologia orienta a não obter vitamina D a partir da exposição desprotegida à radiação UV e apoia a recomendação do Instituto de medicina para suplementar vitamina D em indivíduos com risco de insuficiência de vitamina D, o que inclui adultos com mais de 71 anos, indivíduos com limitação à exposição solar, pessoas de pele negra ou absorção pobre de gorduras, pessoas obesas (a vitamina D é uma vitamina lipossolúvel) e crianças em amamentação, porque o leite materno é uma fonte pobre de vitamina D.

FICA A DICA!

    • Um estudo Brasileiro demonstrou que apenas 10 minutos diários de exposição solar de mãos e face são suficientes para a produção de vitamina D na cidade de São Paulo.

O protetor solar pode causar algum mal à minha saúde?

Algumas pessoas podem desenvolver alergia ao protetor solar, sendo este o efeito adverso mais frequente. As substâncias que normalmente causam alergia ao protetor solar são as benzofenonas, dibenzoilmetanos, avobenzona, PABA e octocrileno. Os filtros físicos, como os de dióxido de titânio, não causam alergia ou reagem com a pele, sendo os únicos indicados para crianças e adultos com alergia ao protetor solar.

É importante saber que todas as substâncias aprovadas para fotoproteção são registradas em listas reguladas:

      • Passam em testes toxicológicos e não podem penetrar a barreira cutânea e entrar na circulação sistêmica ou penetrar nas células onde poderiam causar mutação no DNA (protetor solar não causa câncer!)

      • As formulações cosméticas existentes são insolúveis para minimizar o risco de penetração do composto

      • Estas preparações contem mais de um composto contra radiação UV

      • Filtros químicos com moléculas instáveis podem ser inativadas pela luz UV, perdendo a habilidade de proteção. (cuidado ao manipular protetor solar!)

O protetor solar pode causar algum dano ao meio ambiente?

Recentemente, alguns estudos mostraram que a oxybenzona utilizada em alguns filtros solares não seria completamente eliminada nas estações de tratamento de água. Tanto a oxybenzona quanto seus metabólitos foram encontrados em peixes, com efeitos antiandrogênicos e antiestrogênicos. Além disso, a oxybenzona pode estar relacionada ao clareamento dos corais nos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico. Mais estudos são necessários para comprovar estes efeitos. Mas não se preocupe! Existem várias marcas de protetores solares que não possuem avobenzona. Hoje temos várias opções de protetores solares, incluindo marcas que não fazem testes em animais.

2019-03-31T20:48:48-03:00
%d blogueiros gostam disto: